Taxa de emprego para recém-graduados é a mais alta no Japão desde o ano fiscal de 1996

Uma pesquisa do governo japonês mostra que 98,1% dos estudantes universitários, que se formaram em março deste ano, conseguiram encontrar emprego. O número é o mais alto desde o ano fiscal de 1996, quando teve início o levantamento anual.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social e o Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão entrevistaram 6.250 pessoas, que estudaram em 112 universidades e outras instituições em todo o país, sobre sua situação envolvendo procura de emprego até 1º de abril.

Os resultados mostram que a taxa de emprego para formados em universidades foi de 98,1%, um aumento de 0,8 ponto percentual em relação ao mesmo período do ano passado.

A taxa para escolas de cursos técnicos foi de 97,5%, um aumento de 1,8 ponto em relação ao ano anterior. Nas faculdades de dois ou três anos, 97,4% dos graduados encontraram emprego, o que corresponde a uma queda de 0,7 ponto em relação a um ano antes.

O ministro da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social, Takemi Keizo, disse a repórteres que um crescente número de empresas está contratando ativamente trabalhadores, em meio à escassez de mão de obra.