Procurador do Tribunal Penal Internacional pede prisão de líderes de Israel e do Hamas

O procurador-chefe do Tribunal Penal Internacional disse que as pessoas dos dois lados do conflito em Gaza “têm responsabilidade criminal” por crimes de guerra e crimes contra a humanidade. Karim Khan está solicitando mandados de prisão para cinco homens, incluindo o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o líder do Hamas na Faixa de Gaza, Yahya Sinwar.

Na segunda-feira, Khan emitiu uma declaração do Tribunal de Haia, dizendo que os líderes israelenses estão usando a fome como um “método de guerra” e “direcionando ataques intencionalmente contra a população civil”. Khan também solicitou um mandado de prisão para o ministro da Defesa Yoav Gallant.

Khan escreveu que os líderes do Hamas, Sinwar, Ismail Haniyeh e Mohammad Deif, “planejaram e instigaram” os ataques em 7 de outubro em Israel. Afirmou que eles são responsáveis pela morte de centenas de cidadãos e pela tomada de pelo menos 245 reféns. “Reforçamos, da forma mais clara possível, que o direito internacional e as leis do conflito armado se aplicam a todos”, disse ele. “Nenhum soldado de infantaria, nenhum comandante, nenhum líder civil — ninguém — pode agir impunemente.”

Netanyahu classificou o anúncio de Khan como uma “desgraça”. Ele disse que comparar Israel aos “capangas do Hamas” é uma “farsa da justiça”.

Autoridades do Hamas divulgaram um comunicado dizendo que denunciam “fortemente” a tentativa de Khan de igualar a “vítima” ao “carrasco”. Eles exigiram que ele cancelasse todos os mandados de prisão para seus líderes.

Um painel de juízes determinará se as evidências apoiam a emissão de mandados, um processo que pode levar meses.