Assessor de segurança nacional dos EUA reúne-se com Netanyahu sobre situação em Rafah

O assessor de segurança nacional da Casa Branca reuniu-se domingo em Israel com o primeiro-ministro do país para discutir as operações militares em Rafah, no sul da Faixa de Gaza.

Segundo a Casa Branca, Jake Sullivan e Benjamin Netanyahu “discutiram meios de assegurar uma derrota do Hamas e, ao mesmo tempo, limitar ao mínimo quaisquer danos a civis”.

Sullivan teria repetido a reiterada posição do presidente dos Estados Unidos sobre Rafah.

Teria enfatizado mais uma vez a posição de Joe Biden, contrária à realização de uma grande ofensiva terrestre na cidade do sul do enclave, que provavelmente causaria vítimas civis. Aparentemente, ele instou Israel a ter por alvo apenas dirigentes do Hamas.

Forças israelenses continuam a atacar o Hamas em Rafah, onde um grande número de pessoas está abrigado. Israel teria a determinação de enviar tropas adicionais à cidade com o objetivo de intensificar os ataques.

Biden alertou que Washington vai suspender o fornecimento de munição e de diversos armamentos se Israel prosseguir com as operações terrestres em Rafah.

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina diz que cerca de 800 mil pessoas foram forçadas a abandonar Rafah e que elas carecem de suprimento de água potável.