Primeiro-ministro do Catar diz que negociações de cessar-fogo em Gaza estão “praticamente paralisadas”

O Catar passou meses tentando acalmar as tensões em Gaza, organizando negociações entre Israel e o Hamas para garantir a libertação de reféns e alcançar um cessar-fogo. No entanto, o líder do país admite que as negociações estão “praticamente em um impasse”.

O primeiro-ministro Mohammed bin Abdulrahman Al-Thani disse que o Hamas quer ver o fim dos combates antes mesmo de falar sobre reféns. No entanto, acrescentou, Israel tem uma ideia diferente.

O primeiro-ministro disse: “Enquanto não houver nenhum denominador em comum entre essas duas coisas, não conseguiremos chegar a um resultado”.

Ele também disse que a ofensiva israelense na cidade de Rafah, no sul da região, atrasou as negociações.

As Forças de Defesa de Israel disseram em um comunicado na terça-feira que, no último dia, atingiram mais de 100 alvos em toda a Faixa de Gaza e “eliminaram” dezenas de combatentes do Hamas.

A Al Jazeera relata que um ataque aéreo na cidade central de Nuseirat atingiu um prédio residencial, matando pelo menos 40 pessoas, incluindo crianças.

Moradores de Gaza estão lutando para ter acesso aos cuidados médicos de que precisam urgentemente. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha disse, na terça-feira, que abriu um hospital de campanha em Rafah em 9 de maio. Informou que a instalação pode tratar cerca de 200 pessoas por dia.

Representantes da Cruz Vermelha pediram a todas as partes envolvidas no conflito que “respeitem e protejam” a missão médica.