Empresário japonês processa Meta por anúncios fraudulentos publicados com a sua imagem

Um empresário japonês entrou com ação judicial contra a gigante americana de tecnologia da informação Meta e a sua unidade no Japão. O objetivo é obter indenização e a suspensão de anúncios de investimento fraudulentos que foram publicados, com a sua imagem e sem autorização, em plataformas da Meta. A iniciativa é tomada em meio a uma série de golpes cometidos on-line por falsários que recorrem à imagem de celebridades.

Em sua conta no X — antigo Twitter —, Maezawa Yusaku tornou público quarta-feira o processo que move contra a Meta e o Facebook Japan no Tribunal Distrital de Tóquio.

O empresário afirma que, desde o segundo trimestre do ano passado, foi publicada no Facebook e no Instagram — ambos da Meta — uma grande quantidade de anúncios de investimento fraudulentos com o seu nome e sua imagem, sem permissão. Ele argumenta que permitir a publicação on-line deste tipo de anúncio infringe direitos de publicidade e imagem.

Maezawa diz que, por meio de um sistema de denúncias que ele estabeleceu em março, foram recebidos 96 pedidos de informações sobre prejuízos causados por anúncios fraudulentos nos quais aparecem o seu nome e a sua imagem.

Na ação judicial, o empresário pede, de indenização, a quantia de 1 iene — equivalente a 0,006 dólar. Em entrevista à NHK, ele manifestou intenção de obter a confirmação o mais logo possível da ilegalidade da publicação de anúncios que contribuem para a realização de fraudes. Explicou ter fixado a indenização em 1 iene de modo a deixar claro o objetivo do processo. Maezawa diz esperar que o tribunal esclareça detalhes de medidas tomadas pela Meta, empresa à qual atribui regras obscuras.

Contatados pela NHK, a Meta e o Facebook Japan declararam que se abstêm de comentar casos individuais.