Israelenses homenageiam mortos em guerras no Dia da Memória

Os israelenses pararam na segunda-feira para homenagear cidadãos mortos em guerras ou ataques terroristas. Neste Dia da Memória, muitos se concentraram no conflito em Gaza. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse a eles que a vitória “garantirá seu futuro”.

Pessoas de todo o país tiraram dois minutos para homenagear gerações de mortos em guerras. Netanyahu fez um discurso durante uma cerimônia em Jerusalém, enquadrando o conflito como uma questão para a sobrevivência de Israel. “Ou somos nós — Israel — ou eles — os monstros do Hamas —, seja por uma existência continuada, liberdade, segurança e prosperidade, ou seja pela destruição, massacre, estupro e escravidão”, disse ele.

Netanyahu disse que a guerra de independência dos israelenses “ainda não acabou”. “Vamos realizar os objetivos da vitória e, no cerne deles, está o retorno de todos os nossos reféns para casa”, disse ele.

Netanyahu vem enfrentando críticas durante todo o conflito. Durante seu discurso, ele enfrentou nova oposição quando uma pessoa interrompeu seu pronunciamento. Muitos israelenses estão irritados com as falhas de segurança antes do ataque do Hamas e com os combates que se seguiram. Eles estão observando as Forças avançarem com a ofensiva em Gaza.

A Al Jazeera relata que as tropas ordenaram que os funcionários de um hospital na cidade de Rafah, no sul do enclave, fossem evacuados. Os soldados já forçaram centenas de famílias deslocadas que se refugiavam em seis escolas no norte a sair.