Assembleia Geral da ONU resgata proposta de adesão palestina

A Assembleia Geral da ONU adotou de modo avassalador uma resolução apoiando uma candidatura palestina de se tornar membro pleno das Nações Unidas. Foi recomendado que o Conselho de Segurança reconsiderasse a questão “favoravelmente”.

A resolução foi adotada na sexta-feira com 143 votos a favor e 9 contra, incluindo Estados Unidos e Israel. Foi registrada a abstenção de 25 países.

Os palestinos possuem atualmente o status de observadores não-membros. Esta resolução os reconhece como qualificados para a participação plena.

Esta adesão plena requer uma recomendação do Conselho de Segurança. Contudo, a delegação americana havia vetado tal resolução no mês passado.

Ao explicar o voto de seu país contra a resolução na sexta-feira, o vice-embaixador dos Estados Unidos na ONU, Robert Wood, declarou: “Nosso voto não reflete uma oposição ao Estado palestino; deixamos muito claro que o apoiamos e buscamos seu avanço de forma significativa. Em vez disso, é um reconhecimento de que a criação de um Estado virá apenas de um processo que envolve negociações diretas entre as partes”.

O chanceler israelense, Israel Katz, criticou a resolução. Ele disse via redes sociais que a ONU tomou uma decisão distorcida e desconectada. Katz acrescentou que os delegados da organização estão transmitindo uma mensagem de que a violência compensa.