Forças israelenses tomam controle de passagem de Rafah

Líderes israelenses enviaram tropas para a cidade de Rafah, no sul de Gaza, apesar dos apelos do mundo todo para se absterem de executar uma operação terrestre. Na terça-feira, as forças tomaram o controle de uma passagem vital para a entrega de ajuda humanitária.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse que controlar a passagem é um “passo muito importante” para destruir “as capacidades militares remanescentes do Hamas”.

Sobre a última proposta de cessar-fogo, Netanyahu disse que ela está “longe” de atender aos “requisitos necessários” de Israel. Ele enviou uma delegação ao Cairo para “se manter firme” em relação às condições impostas.

Os líderes do Hamas também enviaram representantes. Eles disseram que a “ocupação” da passagem de Rafah é um crime grave e alertam que, caso essa “agressão” continue, não haverá acordo de cessar-fogo.

O porta-voz da Segurança Nacional da Casa Branca, John Kirby, disse que a operação não é a ofensiva sobre a qual os Estados Unidos vêm alertando. Ele acrescentou que os israelenses descreveram a operação como de “escopo, escala e duração limitados”.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que um ataque em grande escala seria um “erro estratégico” e um “pesadelo humanitário”. Outras autoridades da ONU dizem que a tomada da passagem “interrompeu” a entrada de ajuda a Gaza e que uma outra passagem vital em Kerem Shalom permanece fechada.