Presidente do Banco do Japão e premiê japonês discutem questão de depreciação do iene

O presidente do Banco do Japão, Ueda Kazuo, e o primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, discutiram a questão da taxa de câmbio. A reunião aconteceu em vista da contínua depreciação do iene a níveis sem precedentes em relação ao dólar.

Os dois conversaram no gabinete do premiê, em Tóquio, na terça-feira.

Após a reunião, Ueda disse, em uma coletiva para a imprensa, que, de um modo geral, as taxas de câmbio poderão causar um grande impacto na economia e nos preços.

Acrescentou que o Banco do Japão vai monitorar de perto a recente depreciação do iene na gestão de políticas da instituição.

A moeda japonesa caiu para o patamar de 160 ienes em relação ao dólar no dia 29 de abril. Essa foi a primeira vez em 34 anos que a moeda foi negociada a tal nível.

Em seguida, o iene se recuperou bruscamente chegando ao nível de 154 ienes, mas, novamente, subiu na última quinta-feira passada. Esses movimentos alimentaram as especulações de que as autoridades japonesas haviam intervindo repetidamente.

No mês passado, Ueda respondeu afirmativamente quando um repórter perguntou se o impacto do iene mais fraco nos preços em geral estava dentro de uma faixa que pode ser ignorada.

O mercado não viu sua resposta como uma mensagem forte para manter a depreciação do iene sob controle e, após esse fato, o iene enfraqueceu rapidamente.

Na terça-feira, questionado sobre essa observação, Ueda disse que não há mudança na postura do banco central, mas vai observar cuidadosamente como o iene fraco afetará a taxa básica dos aumentos dos preços.