Israel desconsidera trégua proposta pelo Egito e Catar

O Hamas divulgou um comunicado na segunda-feira dizendo que seu líder, Ismail Haniyeh, concordou com um cessar-fogo proposto por negociadores do Egito e do Catar. O gabinete do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu divulgou sua própria declaração, afirmando que a proposta está longe dos “requisitos necessários”.

Líderes israelenses disseram que seus delegados permaneceriam negociando e que as forças israelenses continuariam com a operação na cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza. Jornalistas no local disseram que, somente na segunda-feira, as tropas de Israel realizaram pelo menos 10 ataques.

Soldados israelenses jogaram panfletos e usaram as redes sociais para exortar os civis a evacuarem para lugares que o governo israelense designou como “áreas humanitárias”.

Autoridades das Nações Unidas disseram que a realocação é desumana. Afirmaram que tais áreas não têm a infraestrutura necessária para hospedar milhares de pessoas deslocadas. Declararam ainda que pretendem “permanecer e entregar” ajuda às pessoas, mesmo em Rafah.

As forças israelenses fecharam duas passagens cruciais para o fornecimento de ajuda à região. Autoridades da Casa Branca disseram que, durante uma conversa por telefone com o presidente Joe Biden, o primeiro-ministro Netanyahu concordou em reabrir a passagem de Kerem Shalom para assistência humanitária.