Governo de Netanyahu decide fechar escritórios da Al Jazeera em Israel

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu diz que seu governo decidiu fechar as operações locais da rede de TV via satélite Al Jazeera.

Netanyahu fez o anúncio nas redes sociais no domingo, descrevendo a organização de mídia com sede no Catar como um canal de incitação.

A Al Jazeera emitiu uma declaração no mesmo dia, condenando a decisão israelense. Ela diz: “A contínua repressão da imprensa livre por Israel, vista como um esforço para ocultar suas ações na Faixa de Gaza, viola o direito internacional e humanitário”.

A emissora também disse: “O ataque direto e a morte de jornalistas, prisões, intimidações e ameaças por parte de Israel não impedirão a Al Jazeera de se comprometer com a cobertura”.

O parlamento de Israel aprovou uma lei no mês passado que permite ao governo regular os meios de comunicação estrangeiros que considere como ameaças à segurança nacional do país.

A Al Jazeera diz que a lei permite que o governo feche temporariamente os escritórios dessas organizações de mídia, impeça a transmissão de suas reportagens, bloqueie seus sites e confisque equipamentos de transmissão.

Uma tela de TV mostrando a transmissão da Al Jazeera no escritório da NHK em Jerusalém ficou preta na tarde de domingo. Em vez das transmissões usuais, a tela mostrava palavras em hebraico que diziam: “De acordo com a decisão do governo, as transmissões da estação Al Jazeera foram interrompidas em Israel”.