Hamas deixa o Egito e lança incerteza sobre negociações de cessar-fogo com Israel

Representantes do Hamas anunciaram que estavam deixando o Egito, onde se realizam negociações com Israel sobre o cessar-fogo na Faixa de Gaza e a libertação de reféns.

O grupo islâmico declarou domingo que havia sido encerrada a última rodada de negociações e que seus representantes estavam deixando o Cairo depois de entregar aos mediadores uma resposta à proposta apresentada por Israel. O Egito é um dos mediadores das negociações.

Antes do anúncio, o líder do Hamas, Ismail Haniyeh, reiterou que qualquer acordo requer um completo cessar-fogo. Em nota, ele diz que o grupo ainda está interessado em chegar a um acordo abrangente que acabe com o que chama de agressão de Telaviv, assegure a retirada dos militares israelenses e concretize a troca de reféns por prisioneiros.

O primeiro-ministro de Israel afirmou no mesmo dia que o país está disposto a interromper os combates para obter a libertação dos reféns.

Benjamin Netanyahu acrescentou, contudo, que o Hamas permanece fincado em posições extremistas e que Israel não pode aceitar isto.

Também no domingo, o Hamas comunicou que havia lançado foguetes contra soldados israelenses perto da Passagem de Kerem Shalom, situada entre Israel e a Faixa de Gaza.

Órgãos de mídia em Israel noticiam que pelo menos dez pessoas ficaram feridas e acrescentam que militares israelenses fizeram uma contraofensiva aérea na área de onde haviam sido lançados os ataques.