Suíça sediará em junho conferência de paz para Ucrânia

A Suíça anunciou que realizará uma conferência internacional no próximo mês para desenvolver um processo de paz para a Ucrânia. Afirma que a reunião se baseará em um plano de paz defendido pela Ucrânia e em outras propostas.

O governo suíço informou, na quinta-feira, que realizará a Cúpula sobre a Paz na Ucrânia no resort de Burgenstock nos dias 15 e 16 de junho. Declarou ter convidado mais de 160 delegações de todo o mundo para o encontro.

A Suíça citou que a Rússia não foi convidada nesse estágio, uma vez que Moscou vem manifestando repetida e publicamente nenhum interesse em participar da cúpula.

A Suíça descreveu um processo de paz sem a Rússia como impensável, e indicou que o governo russo seria incentivado a se juntar após a conferência.

Kiev sugere uma proposta de paz de 10 pontos, que inclui a retirada das tropas russas do território ucraniano e a restauração da integridade territorial da Ucrânia.

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, comentou sobre a conferência em uma entrevista a uma revista de política externa dos Estados Unidos. O vídeo foi divulgado na quarta-feira.

Kuleba afirmou que há duas maneiras de fazer com que a Rússia se sente à mesa e aja de boa fé. Disse que uma era alcançar o sucesso no campo de batalha, e a outra, formar uma coalizão de países que compartilham os mesmos princípios e abordagens.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, declarou ser absolutamente impossível esperar que algo sério possa resultar de uma conferência da qual a Rússia não participa. Ele chamou a reunião anunciada pela Suíça de uma iniciativa destinada a não obter resultados.