Quatro meses após o terremoto de Noto, 4.600 pessoas continuam em centros de evacuação

Quatro meses após 1º de janeiro, dia em que ocorreu o grande terremoto que atingiu a Península de Noto, na província de Ishikawa, mais de 4.600 pessoas ainda permanecem em centros de evacuação.

O terremoto foi de magnitude 7,6, ou intensidade 7 na escala sísmica japonesa, que vai de 0 a 7. Os fortes tremores causaram 245 mortes confirmadas, além de três pessoas continuarem desaparecidas.

Um total de 78.568 edifícios foram danificados. Mais de 10 por cento deles, ou 8.142 edifícios, foram completamente destruídos.

Esforços estão sendo feitos para acelerar a construção de moradias temporárias nas comunidades afetadas. Até o final de abril, mais de 3.300 unidades habitacionais haviam sido construídas, mais da metade do número considerado necessário pela província.

Embora o número de evacuados que se mudam para moradias temporárias esteja aumentando, 4.606 pessoas ainda estão abrigadas em centros de evacuação.

Cerca de 3.780 famílias continuam sem água, muitas delas nas cidades de Suzu e de Wajima. A situação impediu que muitos evacuados voltassem para casa.

A província de Ishikawa pretende restaurar a infraestrutura de abastecimento de água nas áreas mais afetadas até o final de maio.

O governo da província também planeja acelerar ainda mais a construção de moradias temporárias com o objetivo de acomodar todos os requerentes até agosto.