Netanyahu promete prosseguir com ofensiva em Rafah, com ou sem acordo

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu afirma que irá prosseguir com uma ofensiva na cidade de Rafah, no sul de Gaza, com ou sem acordo.

Netanyahu fez as declarações na terça-feira em reunião com parentes de reféns e famílias enlutadas.

Ele disse: “A ideia de que vamos interromper a guerra antes de atingir todos os seus objetivos está fora de cogitação”.

O premiê de Israel expressou determinação em “entrar em Rafah” e “eliminar os batalhões do Hamas” para “alcançar a vitória total”.

Tal demonstração de audácia se dá num momento em que as negociações estão em andamento sobre uma pausa nos combates e a libertação de reféns mantidos pelo grupo islâmico Hamas. As negociações são mediadas por países como o Egito.

Já o Hamas estaria supostamente debatendo um acordo que foi proposto no Egito na segunda-feira.

As forças israelenses se preparam para uma operação terrestre em Rafah. No sábado, entretanto, o ministro israelense das Relações Exteriores, Israel Katz, disse que o país poderia suspender o plano caso chegasse a um acordo com o Hamas sobre a libertação de reféns.

O comentário gerou críticas de membros de direita do governo. Observadores apontam que isso teria levado à demonstração de uma postura desafiadora por parte de Netanyahu.

A emissora de TV por satélite Al Jazeera, com sede no Catar, citou um analista político palestino dizendo que os mais recentes comentários de Netanyahu atropelam todas as negociações de cessar-fogo.