G7 adota declaração com redução gradual de energia a carvão até início dos anos 2030

Ministros da Energia das nações do Grupo dos Sete (G7) concordaram em eliminar em fases a contínua geração de energia a carvão durante a primeira metade da década de 2030, e em definir um cronograma alternativo para sua redução gradual.

As autoridades encerraram as negociações de dois dias em Turim, Itália, na terça-feira. A reunião ocorreu dando seguimento à conferência da COP28 das Nações Unidas sobre mudanças climáticas, realizada no ano passado.

O comunicado emitido após o encontro diz que o G7 encerrará o uso de carvão na geração de energia até meados da década de 2030, “ou em um cronograma consistente com a manutenção do limite do aumento de temperatura de 1,5 grau Celsius, de acordo com os planos de emissão líquida zero dos países”.

O documento também insta os outros países a apresentarem, até o início de 2025, suas novas metas de redução de emissões para 2030 em diante.

O comunicado afirma também que o G7 planeja triplicar a capacidade global de energia renovável até 2030, e define a meta de aumento do armazenamento de energia em mais de seis vezes, ou para 1.500 gigawatts em comparação aos atuais níveis, por meio de baterias e outros métodos.

Acrescenta que as nações do G7 vão intensificar a cooperação no apoio aos países em desenvolvimento na África e em outras regiões para a tomada de medidas climáticas.