EUA confirmam que 5 unidades israelenses cometeram violações de direitos humanos antes de conflito com Hamas

O Departamento de Estado dos EUA confirmou que cinco unidades das forças de segurança de Israel haviam cometido graves violações dos direitos humanos antes de outubro do ano passado, quando o conflito com o Hamas começou.

Na segunda-feira, o vice-porta-voz do Departamento de Estado, Vedant Patel, disse à imprensa que nenhum dos incidentes ocorreu em Gaza e que quatro das “unidades haviam efetivamente remediado” tais violações.

Patel não forneceu detalhes sobre os casos, mas órgãos da mídia estadunidense informaram que as unidades israelenses torturaram e abusaram palestinos na Cisjordânia, território ocupado por Israel.

A lei dos EUA proíbe o país de prestar assistência militar a unidades de forças de segurança estrangeiras, quando há informações confiáveis que as impliquem em graves violações de direitos humanos.

Antes da entrevista coletiva de Patel, órgãos da mídia dos Estados Unidos haviam sugerido que Washington poderá suspender a ajuda militar a uma das unidades das Forças de Defesa de Israel. Os relatórios resultaram em uma resposta afiada do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu.

A lei dos EUA permite exceções. A ajuda militar pode ser fornecida se o secretário de estado determinar que o governo da força de segurança implicada está tomando medidas eficazes para levar os responsáveis à justiça.