Ministros do G7 adotarão declaração com medidas de redução de emissões de gases de efeito estufa

Ministros responsáveis por questões de clima, energia e meio ambiente das nações do Grupo dos Sete (G7) deverão adotar uma declaração descrevendo medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

As autoridades iniciaram as conversações com duração de dois dias em Turim, Itália, na segunda-feira.

A reunião acontece dando prosseguimento à conferência sobre mudanças climáticas da COP 28 das Nações Unidas, no ano passado, quando os representantes conduziram seu primeiro “balanço global” para avaliar o progresso nos esforços para combater as mudanças no clima.

De acordo com o rascunho da declaração, as nações do G7 planejam instar outros países a apresentarem novas metas de redução das emissões para 2030 em diante, até o início de 2025.

A declaração pede a eliminação gradual das usinas movidas a carvão, que carecem de medidas de redução de emissões, até a primeira metade da década de 2030, ou de acordo com a meta de limitação do aumento das temperaturas globais a 1,5 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais.

Para triplicar a capacidade global de energia renovável até 2030, a declaração exige o aumento do armazenamento de energia no setor por meio de baterias de armazenamento e outros métodos para 1.500 gigawatts, o que corresponde a mais de seis vezes os níveis dos volumes atuais.

A declaração diz que os países do G7 planejam diminuir as emissões de gases dos automóveis de diversas maneiras e reforçar a infraestrutura para carregar veículos elétricos.

A declaração deverá ser adotada nesta terça-feira, 30 de abril.