Parentes de japoneses sequestrados por Pyongyang vão aos EUA em busca de apoio

Dois parentes de cidadãos japoneses sequestrados pela Coreia do Norte partiram para os Estados Unidos em busca de apoio de autoridades americanas a fim de buscar uma pronta resolução do problema.

Os parentes são Yokota Takuya, que lidera o grupo de familiares dos sequestrados, e Iizuka Koichiro.

Yokota é irmão mais novo de Yokota Megumi, que foi sequestrada por agentes norte-coreanos aos 13 anos.

Iizuka Koichiro é filho de Taguchi Yaeko, raptada por Pyongyang quando ele tinha apenas um ano de idade.

Os dois planejam se encontrar com funcionários do governo e legisladores de ambas as câmaras do Congresso americano antes de retornarem ao Japão no sábado.

Em fevereiro, o grupo de familiares dos sequestrados compilou um plano de ação que afirma não ser contra à retirada de sanções à Coreia do Norte por parte do governo japonês, desde que todos os sequestrados restantes retornem enquanto seus pais ainda estão vivos.

O grupo instou com veemência o governo japonês a agir e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, a tomar uma decisão.

Yokota e Iizuka devem explicar o novo plano de ação e buscar compreensão e apoio do lado americano para o retorno imediato dos sequestrados.

Ao falar com repórteres no Aeroporto de Haneda, em Tóquio, Yokota disse que nada foi feito desde a última vez que visitou os EUA, há um ano.

Ele disse que espera se encontrar com legisladores, especialistas e funcionários do governo dos EUA e quer que eles compreendam a situação familiar por trás da nova política.

O governo japonês diz que pelo menos 17 cidadãos foram sequestrados por agentes norte-coreanos nas décadas de 1970 e 1980. Cinco retornaram em 2002, mas o paradeiro dos outros 12 ainda é desconhecido.