Estudo indica que bactérias resistentes a medicamentos podem se disseminar dos seres humanos para a natureza

Um grupo de pesquisadores de instituições como da Universidade de Hokkaido, no Japão, afirma que um estudo revelou que bactérias resistentes a medicamentos podem estar se espalhando da sociedade humana para ambientes aquáticos e de vida selvagem.

Segundo informes, as bactérias resistentes a medicamentos são cada vez mais predominantes devido ao uso excessivo ou indevido de antibióticos, como observado, por exemplo, em casos de pacientes que param de tomar os medicamentos enquanto os germes ainda permanecem no corpo.

O foco da pesquisa do grupo foi o clone ST131 de E.coli, que apresenta altos níveis de resistência a antibióticos.

O grupo isolou o ST131 de amostras de águas de lagos e rios, bem como de fezes de cães-guaxinins e veados, encontradas na vida selvagem e coletadas nas províncias de Gifu, Shiga e outras, durante o período de seis anos até 2021. Os pesquisadores, então, analisaram as características genéticas.

Eles também analisaram clones ST131 isolados, derivados de amostras de urina de pessoas da mesma região para comparar o histórico genético dos ambientes isolados.

As análises mostraram uma estreita semelhança genética entre o ST131 de seres humanos e de ambientes aquáticos e de vida selvagem, sugerindo uma possível disseminação da bactéria desde a sociedade humana para o mundo natural.

O grupo alerta que, se nenhuma medida for tomada, as bactérias resistentes aos medicamentos podem se espalhar ainda mais na natureza e, posteriormente, retornar dos animais para as pessoas, causando um surto de novas doenças infecciosas.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, afirma que a resistência antimicrobiana é uma das principais ameaças à saúde pública e ao desenvolvimento global.

A OMS e outras entidades afirmam que as bactérias com resistência antimicrobiana foram responsáveis por cerca de 1,27 milhão de mortes em todo o mundo em 2019. Elas podem causar 10 milhões de mortes por ano até 2050, caso nenhuma medida seja tomada.