Presidente-eleito da Finlândia enfatiza a importância da Otan para o país

O ex-primeiro-ministro da Finlândia, Alexander Stubb, venceu no segundo turno da eleição presidencial, realizado no domingo, usando a ocasião para enfatizar a importância da participação de seu país na Otan.

Os dois principais candidatos na eleição presidencial de janeiro competiram no segundo turno depois de não conseguirem obter uma maioria dos votos no primeiro turno.

O Ministério da Justiça finlandês disse que Stubb, que lidera o partido governista de centro-direita Coalizão Nacional, obteve 51,6% dos votos, enquanto o ex-ministro das Relações Exteriores Pekka Haavisto, da sigla de centro-esquerda Partido Verde, recebeu 48,4%. Stubb foi eleito para suceder ao presidente Sauli Niinisto, que cumpriu dois mandatos, totalizando 12 anos no poder.

Em abril do ano passado, a Finlândia aderiu à aliança militar da Otan, rompendo com décadas de não alinhamento, em resposta à invasão russa à Ucrânia.

A Finlândia e a Rússia compartilham uma fronteira de aproximadamente 1.300 quilômetros.

Em um discurso feito na capital Helsinque, Stubb disse que a era pós-Guerra Fria acabou.

Ele mencionou três pilares para a política de defesa da Finlândia: gastos com defesa de 2,3% do PIB; participação na Otan; e um pacto de cooperação em defesa que a Finlândia concluiu com os Estados Unidos em dezembro.

A Finlândia está em alerta máximo desde o verão passado. O país nórdico fechou a maioria de seus postos de controle de fronteira com a Rússia, citando um aumento no número de requerentes de asilo que chegam ao país.

A Finlândia culpou Moscou por enviá-los intencionalmente para causar tumulto.