Zelenskyy acusa Rússia por ataque mortal com drones na Carcóvia

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, acusou a Rússia de matar sete pessoas, incluindo três crianças, em ataque com drones na Carcóvia, cidade do leste do país invadido.

O ataque à segunda maior cidade da Ucrânia, entre sexta-feira e sábado, atingiu tanques de combustível. As vítimas, incluindo pais das crianças, morreram em incêndio causado por vazamento do combustível.

A polícia divulgou imagens mostrando policiais que ingressam em prédios residenciais em chamas e resgatam pessoas.

Em postagem em redes sociais no sábado, o presidente da Ucrânia refere-se aos mortos e cita os nomes das três crianças.

Zelenskyy declara que o “terror russo” não pode ficar impune. Ele exige que a Rússia assuma a responsabilidade por cada vida destruída.

E a Human Rights Watch diz, em relatório divulgado na quinta-feira, que provavelmente pelo menos 8 mil pessoas morreram na invasão russa de Mariupol. Em maio de 2022, após intensos combates, a Rússia assumiu o controle da cidade da região de Donetsk, no leste da Ucrânia.

A estimativa da entidade internacional de direitos humanos baseia-se em análise que fez de fotos de satélite tiradas dos principais cemitérios. Diz que talvez o total de mortos na batalha jamais venha a ser conhecido porque os números disponíveis provavelmente estariam muito aquém do real.

O governo da Ucrânia estimou que mais de 20 mil pessoas foram mortas na invasão russa de Mariupol, cidade então com população aproximada de 400 mil habitantes. Detalhes sobre mortos e feridos não foram divulgados porque a cidade é hoje governada pela Rússia.