Primeiro-ministro de Israel prepara invasão da cidade de Rafah em Gaza

Líderes de todo o mundo têm levantado suas vozes por preocupação com a crise humanitária na Faixa de Gaza. O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, ordenou um plano de duas fases para continuar a luta e, ao mesmo tempo, evitar tais críticas.

Netanyahu declarou na sexta-feira que uma operação “de grandes proporções” é necessária na densamente povoada cidade de Rafah, onde vivem ou se refugiam mais de um milhão de pessoas. Ele ordenou aos militares que a população civil fosse evacuada antes do ingresso das forças terrestres. Contudo, muitos residentes já haviam sido repetidamente evacuados de outras áreas.

Antes da ofensiva terrestre, as forças israelenses começaram a executar ataques aéreos.

Os combates em Gaza provocaram a morte de 27.947 palestinos no decorrer dos últimos quatro meses. Até mesmo os aliados mais próximos de Israel estão manifestando receio. Na quinta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou as operações militares como sendo “exageradas”, afirmando que o sofrimento dos civis “precisa parar”.