Válvulas abertas teriam causado vazamento de água não tratada da usina Fukushima 1

A Companhia de Energia Elétrica de Tóquio, Tepco, está investigando a possibilidade de que o vazamento de água não tratada a partir de um equipamento de filtragem, na usina nuclear Fukushima 1, tenha sido causado por conta do possível esquecimento dos trabalhadores em fechar algumas das válvulas.

A empresa havia anunciado anteriormente que cerca de 5,5 toneladas de água contendo substâncias radioativas tinham vazado para o ambiente externo por um duto do equipamento de filtragem na manhã de quarta-feira.

A Tepco afirmou que a água que vazou continha cerca de 22 bilhões de becqueréis de césio-137 e outras substâncias que emitem raios gama. O número supera consideravelmente o mínimo de 100 milhões de becqueréis, que constitui o nível padrão para relatar ao governo.

A empresa citou que, no momento em que o vazamento foi descoberto, um monitor que mede os níveis de substâncias radioativas no ar, acima da usina, registrou temporariamente um ligeiro aumento nos dados. Diz que o número agora voltou ao normal.

A companhia também destacou que não detectou nenhuma mudança significativa nos níveis de radioatividade ao redor da usina nos postos de monitoramento e nos dispositivos de monitoramento em canais de drenagem nas proximidades.

A Tepco explicou, na quinta-feira, que os tubos que os trabalhadores lavavam quando ocorreu o vazamento têm 16 válvulas que são operadas manualmente.

A empresa disse que está investigando a possibilidade de os trabalhadores terem esquecido de fechar as válvulas.