Ministro da Defesa da Suécia diz que imediata admissão na Otan é essencial para apoiar a Ucrânia

O ministro da Defesa da Suécia, Pal Jonson, afirma que uma imediata admissão do país à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) ajudaria a reforçar o poderio da aliança militar no combate às ameaças da Rússia.

Em entrevista exclusiva à NHK na segunda-feira, em Estocolmo, Jonson ressaltou que a Suécia tem uma forte base industrial de defesa, que seria parte de um “poder de dissuasão militar convincente”.

A Hungria é a única nação integrante da Otan que não aprovou a entrada da Suécia. O ministro da Defesa sueco manifestou expectativa de que discussões avancem positivamente neste sentido no Parlamento da Hungria. Informou que a Suécia vem dialogando com a Hungria e que o governo do país teria dito que ratificará a admissão.

Jonson sugeriu que a Suécia está capacitada a desempenhar um papel fundamental na Otan por dispor de uma forte base industrial de defesa e uma aparelhada comunidade de inteligência “especialmente focada na Rússia”.

Desde agosto do ano passado, Estocolmo e Kiev discutem o possível fornecimento de caças Gripen fabricados na Suécia para a Ucrânia. Jonson declarou que a Suécia precisará se tornar membro da Otan antes de decidir pelo fornecimento dos Gripen.

Avaliou que a Rússia não tem tido sucesso até agora em seus combates na Ucrânia. O ministro da Defesa da Suécia enfatizou a importância de que nações ocidentais continuem a apoiar Kiev, principalmente fornecendo mais munição de artilharia e sistemas de defesa aérea.