Filha de pescador afetado pelo teste nuclear de Bikini viajará às Ilhas Marshall

No dia 1º de março vão se completar 70 anos desde que os Estados Unidos realizaram um teste com bomba de hidrogênio no Atol de Bikini, no Oceano Pacífico. Uma mulher que é parente de um pescador japonês exposto à radiação participará pela primeira vez de uma cerimônia nas Ilhas Marshall para pedir a abolição das armas nucleares.

Quando o teste foi realizado, em 1954, foram expostos à radiação os tripulantes da embarcação Daigo Fukuryu Maru, da província de Shizuoka, situada na região central do Japão, e barcos de pesca da província de Kochi, da região oeste do país.

O falecido pai de Shimomoto Setsuko estava em uma das embarcações de Kochi. Em 1º de março, a filha vai participar de uma cerimônia a se realizar em Majuro, capital das Ilhas Marshall. Também está prevista a presença de moradores locais que foram expostos à radiação.

Shimomoto diz querer conhecê-las e também conversar com legisladores locais para fazer um apelo pela eliminação das armas nucleares. Além disso, pretende destacar o fato de que um grande número de barcos de pesca de Kochi sofreu radiação.

Shimomoto expressa determinação de esclarecer a um grande número de pessoas os perigos da exposição interna à radiação.