EUA pressionam por avanço em acordo de cessar-fogo em Gaza

O secretário de Estado dos Estados Unidos segue rumo a um giro pelo Oriente Médio em busca de garantir um acordo de cessar-fogo entre Israel e o Hamas. O número de mortos em Gaza já chega a 27.500, quatro meses após o início dos combates entre os dois lados.

O mais recente acordo mediado pelo Catar, Egito e EUA pode resultar em uma pausa nos combates em troca do retorno de reféns.

Em reunião com o primeiro-ministro do Catar na terça-feira (6), o secretário americano Antony Blinken disse que planeja pressionar Israel.

“A proposta foi compartilhada com o lado israelense. Irei retomar essa conversa amanhã em Israel, quando estiver lá, e trabalharemos o máximo possível para tentar chegar a um acordo”, disse Blinken.

O primeiro-ministro e ministro das Relações Exteriores do Catar, Sheikh Mohammed bin Abdulrahman Al-Thani, disse: “A perspectiva geral parece estar a nosso favor, pelo menos da forma como a recebemos, oferecendo perspectivas mais promissoras e de melhores resultados”.

Afirmaram que a resposta do Hamas ao plano é “positiva, de forma geral”. Mas não foram fornecidos mais detalhes.

Israel, por sua vez, promete continuar sua ofensiva contra o Hamas. Forças do país ameaçaram avançar sobre a cidade de Rafah, no sul do enclave, onde mais de um milhão de palestinos estão abrigados.

Um porta-voz militar israelense disse que 31 reféns tomados pelo Hamas foram confirmados mortos. O New York Times afirmou que oficiais da inteligência israelense estão analisando informações não confirmadas de que pelo menos 20 outros reféns também teriam sido mortos.