Sonda lunar japonesa captura imagens de mais rochas que o esperado pelos pesquisadores

Especialistas do setor espacial no Japão informam que a sonda lunar lançada pelo país, SLIM, superou as expectativas ao fornecer dados de dez rochas. Agora eles esperam que estes dados possam ajudar a esclarecer as origens da Lua.

O pouso da sonda SLIM, ou Smart Lander for Investigating Moon, ocorreu no dia 20 de janeiro. Contudo, após o pouso um painel solar ficou voltado para o lado errado, e assim o veículo estava incapacitado de gerar energia. A sonda iniciou as explorações depois de vários dias, após conseguir captar um pouco de luz solar.

Saiki Kazuto, do Centro de Exploração da Terra e do Espaço da Universidade Ritsumeikan, lidera uma equipe encarregada de usar a sonda japonesa para observar rochas lunares. Uma câmera de bordo especial forneceu à equipe dados de dez rochas. Saiki disse à NHK que a obtenção de dados de uma única rocha já seria considerada um sucesso.

Saiki, fanático por cães, propôs batizar as rochas com nomes de raças caninas, como poodle toy e shiba.

A equipe agora está trabalhando para determinar se as rochas são compostas pelo mineral olivina. Encontrar este mineral pode reforçar a teoria de que a Lua foi formada por detritos de uma colisão entre a Terra e outro pequeno planeta.

Saiki espera anunciar os resultados do estudo dentro de seis meses a um ano.