Protesto contra militares de Mianmar é realizado em Tóquio

Pessoas de Mianmar que vivem no Japão organizaram um protesto pró-democracia em Tóquio, na quinta-feira (1).

Completaram-se 3 anos desde que lideranças em Mianmar deram um golpe militar em 1º de fevereiro de 2021, alegando que a eleição do ano anterior havia sido fraudulenta. Os militares expulsaram e detiveram Aung San Suu Kyi, cujo partido havia vencido o pleito com uma vitória esmagadora. Em seguida, reprimiram manifestantes civis.

Cerca de 300 cidadãos de Mianmar e demais apoiadores se reuniram em frente à embaixada do país, em Tóquio.

Eles hastearam faixas e cartazes exigindo que governantes militares de Mianmar parem de matar civis. Também entoaram gritos de guerra exigindo a libertação de Aung San Suu Kyi e de cidadãos detidos.

Um grupo de direitos humanos em Mianmar diz que quase 4.500 civis foram mortos e cerca de 20 mil foram detidos.

Um homem de 30 anos de perto de Yangon disse que amigos e outros conhecidos em seu país sofreram violência ou foram detidos pelos militares. Ele acrescentou que a situação continua a se agravar, embora tenham se passado três anos desde o golpe. Disse querer que a comunidade internacional corte laços com os militares.