Navio da Força Marítima de Autodefesa do Japão parte para o Golfo de Áden

Um destróier da Força Marítima de Autodefesa do Japão partiu do país em missão de combate à pirataria no mar no Golfo de Áden, em meio a contínuos ataques de insurgentes houthis do Iêmen a navios na região.

O Sazanami vai substituir o Akebono, outro destróier da Força Marítima de Autodefesa, que vem atuando na região em missão idêntica.

O Sazanami partiu nesta quinta-feira da sua base em Kure, na província de Hiroshima, com 206 tripulantes a bordo, alguns deles pertencentes à Guarda Costeira do Japão. Programado para substituir o destróier Akebono no meio de março, o navio iniciará então a sua missão com duração aproximada de quatro meses.

Um estreito interliga o Golfo de Áden e o Mar Vermelho. Com frequência, insurgentes houthis atacam embarcações que navegam em águas do Mar Vermelho e redondezas.

Em novembro, mísseis balísticos foram lançados em águas próximas ao local onde atuava o Akebono. As Forças Armadas dos Estados Unidos apontaram áreas controladas pelos houthis no Iêmen como local de disparo dos mísseis.

A Força Marítima de Autodefesa do Japão informa que vai monitorar o desenrolar da situação na região e coletar informações para fazer todo o possível a fim de garantir a segurança da embarcação e da tripulação.