Polícia divulga causas de morte das vítimas do terremoto de 1º de janeiro no Japão

A Agência Nacional de Polícia do Japão listou as causas de morte das vítimas do terremoto do dia 1º de janeiro no país. À NHK, o órgão declarou que muitas das vítimas estariam esperando para serem resgatadas pouco antes de morrer.

Foram confirmadas 238 mortes no sismo que atingiu a província de Ishikawa, na costa do Mar do Japão, região central do país. Dezenove pessoas continuam desaparecidas.

As causas de morte foram dadas para 222 pessoas. Noventa e duas foram esmagadas até a morte; 49 morreram de asfixia ou insuficiência respiratória; e 32 sofreram hipotermia.

Por outro lado, equipes de resgate salvaram muitas pessoas presas em construções desmoronadas. Kako Yoshinobu é especialista em resgatar pessoas presas nos escombros. Ele diz: “Em alguns casos, as pessoas conseguiram permanecer em vãos entre os escombros e escaparam de ferimentos. Precisamos pensar em como evacuar quando não há tempo para fugir.”

O frio do inverno pode ser mortal. De acordo com Kako, muitas pessoas que morreram de hipotermia estavam em áreas de difícil acesso, pois os socorristas foram retardados por estradas danificadas e congestionamentos de trânsito. O especialista diz: “É impossível que as equipes de resgate cheguem imediatamente aos locais do desastre. É preciso que haja uma discussão sobre o que fazer enquanto se espera pela chegada deles.”

Em uma iniciativa relacionada, a construção do primeiro lote de moradias temporárias na província de Ishikawa foi concluída na quarta-feira. A ocupação das unidades na cidade de Wajima começará a partir de sábado. Dezoito moradias estão prontas. Houve mais de 4 mil inscrições por parte de residentes.

A meta do governo provincial de Ishikawa é começar a construir pelo menos 3 mil unidades temporárias até o final de março.