EUA e China estabelecem cooperação para combater tráfico de fentanil

Os EUA e a China formaram um grupo de trabalho de cooperação para interromper o fluxo de fentanil e outros opioides sintéticos. A iniciativa foi tomada apesar de haver disputas sobre comércio, segurança e direitos humanos entre as duas superpotências.

Autoridades dos dois países se reuniram na terça-feira em Pequim para discutir o assunto.

A vice-conselheira de Segurança Interna dos EUA, Jen Daskal, conversou com o ministro da Segurança Pública da China, Wang Xiaohong. Daskal disse que “o presidente Biden enviou uma delegação de tal proporção para ressaltar a importância dessa questão para o povo americano”.

Já Wang disse: “Esperamos que ambos os lados continuem trabalhando juntos em vários campos com base em uma sólida cooperação antinarcótica, ao mesmo tempo acomodando as preocupações um do outro”.

Overdoses por fentanil se tornaram a principal causa de morte entre jovens nos EUA. Acredita-se que a droga seja responsável por cerca de 100.000 mortes por ano.

Biden chamou a crise de “tragédia americana”. Ele e o presidente chinês Xi Jinping concordaram, no ano passado, em tentar interromper a produção e a exportação da droga.

Autoridades dos EUA acreditam que a China é a principal fonte dos produtos químicos usados para fabricar o fentanil. Os cartéis de drogas no México usam essas substâncias para fazer o produto final, e as autoridades também estão pressionando o governo mexicano a interromper o fluxo.