Exportações de alimentos do Japão atingem recorde apesar de queda em comércio com a China

As exportações japonesas de produtos agropecuários, silvícolas e pesqueiros, entre outros itens alimentícios, totalizaram no ano passado um recorde de mais de 1,45 trilhão de ienes, ou cerca de 9,84 bilhões de dólares.

O Ministério da Agricultura, Silvicultura e Pesca disse na terça-feira que o número aumentou 2,9 por cento em relação ao ano anterior.

Categorizadas por países e territórios, as exportações para a Coreia do Sul aumentaram cerca de 14%, seguidas por Hong Kong com mais de 13% e os Estados Unidos com mais de 6%.

O ministério atribuiu o aumento à recuperação da demanda no setor de restaurantes, que foi duramente atingido durante a pandemia do coronavírus, e ao iene mais fraco em relação ao dólar.

Embora a China continue sendo o maior mercado externo para esses produtos, as exportações para o país caíram mais de 14%, ou cerca de 276 milhões de dólares, em relação a 2022.

O governo chinês suspendeu as importações de produtos marinhos japoneses em agosto do ano passado como forma de protesto contra a liberação de água tratada e diluída ao mar por parte da usina nuclear de Fukushima 1.

O governo japonês pretende aumentar as exportações de produtos alimentícios para 2 trilhões de ienes, ou mais de 13,5 bilhões de dólares, até 2025.

Já que a China continua suspendendo as importações de produtos pesqueiros japoneses, o governo japonês precisa considerar formas de diversificar seus mercados internacionais.