Hong Kong revela linhas gerais da nova legislação de segurança nacional

O chefe do executivo de Hong Kong, John Lee, revelou as linhas gerais de uma proposta de legislação de segurança local para reprimir o que as autoridades dizem ser atividades que podem ameaçar a segurança nacional.

A nova legislação é considerada uma complementação da Lei de Segurança Nacional de Hong Kong, imposta pelo governo chinês em 2020.

Na terça-feira, em uma entrevista à imprensa, Lee disse que ameaças à segurança nacional podem ocorrer repentinamente e de uma forma inesperada. Enfatizando a necessidade de tal legislação, ele afirmou que essas ameaças podem ser minimizadas com a promulgação de uma nova lei de segurança o mais rápido possível.

Ele explicou que a nova lei proibirá o roubo de segredos de Estado, a espionagem, a intervenção nos assuntos de Hong Kong por forças estrangeiras, assim como a sabotagem da segurança nacional utilizando computadores, entre outros atos.

O governo do território planeja explicar as linhas gerais da nova legislação aos cidadãos, empresas estrangeiras e consulados gerais, e deve ouvir suas opiniões até o dia 28 de fevereiro.

As empresas estrangeiras temem que a nova legislação possa afetá-las.

Acredita-se que a legislação será rapidamente promulgada, uma vez que quase todos os membros do Conselho Legislativo, a legislatura de Hong Kong, assumem uma postura pró-Pequim e apoiam a nova legislação de segurança.