Premiê do Japão pede desculpas no Parlamento por escândalo de propinas envolvendo seu partido

O primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, reiterou seu pedido de desculpas no Parlamento pelo escândalo financeiro que envolve facções do Partido Liberal Democrático, principal sigla da coalização governista.

Kishida fez um pronunciamento na segunda-feira durante uma sessão do Comitê de Orçamento da Câmara Baixa que se concentrou em política e dinheiro.

Ele disse que o problema minou seriamente a confiança do público na política. Ele se comprometeu a fazer esforços persistentes para reformar a política e restaurar a confiança.

Na sessão, os partidos da oposição pediram uma investigação rápida para descobrir toda a extensão do fluxo de comissões não declaradas, provenientes de eventos de arrecadação de fundos, para facções e legisladores do PLD.

Kishida respondeu que o partido começará a ouvir os envolvidos e que uma série de reformas serão discutidas com outros partidos.

Ele disse que o PLD, então, irá elaborar sua visão sobre reformas, incluindo um sistema para esclarecer as responsabilidades dos políticos, bem como realizar discussões abrangentes com outros partidos.

Alguns legisladores do PLD afirmam que apresentaram correções em seus relatórios de fundos políticos em relação ao escândalo.

Kishida disse estar ciente até o momento de que relatórios de fundos políticos foram revisados por mais de 30 membros da maior facção do partido, anteriormente liderada pelo falecido primeiro-ministro Abe Shinzo, e por sete membros da facção liderada pelo ex-secretário-geral do PLD, Nikai Toshihiro.