Sobreviventes ainda vivem em abrigos 4 semanas depois do terremoto de Noto

Já se passaram quatro semanas desde que um forte terremoto atingiu a Península de Noto, no centro do Japão, no dia de Ano-Novo. O número de mortos chegou a 236 e mais de 14.000 pessoas permanecem em abrigos.

Mais de 43.000 casas foram danificadas pelo terremoto de magnitude 7,6 na área de Noto e seus arredores.

A rua principal da cidade de Suzu, na província de Ishikawa, ficou devastada. Um morador disse: “Havia muitas lojas ao longo da rua. Ela está completamente destruída”.

Os tremores também provocaram uma liquefação generalizada do solo. Especialistas inspecionaram a área no domingo, mas disseram que ainda não determinaram a extensão total dos danos.

Muitas pessoas já estão engajadas na reconstrução. O time de beisebol de uma escola de ensino médio local se juntou no domingo para ajudar a limpar a sujeira. O capitão da equipe disse: “Estou aqui porque quero que meus vizinhos recuperem suas vidas normais logo”.

As autoridades de Ishikawa dizem que cerca de 14.500 pessoas permanecem em abrigos.

Sem uma previsão para que as pessoas possam retornar a suas casas, as autoridades estão tentando tornar a vida nos abrigos um pouco mais fácil.

Uma sobrevivente foi inicialmente evacuada para uma escola primária com seu cachorro. No entanto, algumas pessoas estavam preocupadas com os latidos. Posteriormente, ela conseguiu se mudar para uma nova instalação onde os evacuados podem ficar junto de seus animais de estimação.

Relatórios afirmam que 90 pessoas estão morando em seus carros. Muitas casas ainda não têm água corrente.

Autoridades locais estão trabalhando para levar os sobreviventes para hotéis em áreas não afetadas pelo terremoto.

Afirmam que moradias temporárias serão construídas já na próxima semana para aqueles que não podem retornar a suas casas tão cedo.