Suspeito de ser extremista procurado por atentados na década de 1970 no Japão estaria sob custódia policial

Fontes investigativas indicam que a polícia pôs sob custódia um homem que se suspeita ser membro de um grupo extremista que orquestrou uma série de atentados a bomba contra empresas em Tóquio em meados da década de 1970.

Segundo estas fontes, a polícia descobriu que um homem considerado fugitivo da justiça, Kirishima Satoshi, havia sido internado em um hospital na província de Kanagawa, próxima a Tóquio, e o colocou sob custódia na quinta-feira.

Kirishima é membro da Frente Armada Anti-Japão do Leste Asiático. O grupo é considerado responsável por 12 ataques a bomba em 1974 e 1975, tendo como alvo empresas que faziam negócios no exterior.

O atentado a bomba executado pelo grupo contra a sede da empresa Mitsubishi Heavy Industries no bairro comercial de Marunouchi em 1974 deixou oito pessoas mortas e 165 feridas.

Kirishima é suspeito pelo envolvimento em um ataque a bomba contra um prédio em Ginza, também em Tóquio, em 1975.

Pela suspeita de ter violado a Regulamentação Criminal para Controle de Explosivos, Kirishima foi adicionado a uma lista nacional de procurados.

Fontes informam que o homem que se acredita ser Kirishima estaria hospitalizado com um nome falso e recebendo tratamento para câncer em estágio terminal. Indicam também que o homem está admitindo ser o procurado Kirishima, que teria 70 anos de idade.

A polícia está interrogando o suspeito e também deve realizar um teste de DNA para confirmar sua identidade.